domingo, 6 de outubro de 2013

Comprar demais pode ser uma doença.




Moderação nas compras
A compulsão não está relacionada exclusivamente com o uso de substâncias químicas. Pode estar ligada a outras situações que provocam prazer, como fazer compras ou passar horas em frente do computador.
Com base em estudos americanos, o comprar compulsivo só passou a ser tratado como doença recentemente. Considera-se que uma pessoa é compradora compulsiva quando, em determinado momento, começa a contabilizar prejuízos financeiros, pessoais e de relacionamento provocados pelo descontrole nas compras.
O comprador compulsivo tem algumas características, ele apresenta arrependimento, mente, esconde, muitas vezes deixa a mercadoria na loja e passa para pegar depois. Enfim, ele tem um comportamento para encobrir a compra, porque tem culpa e em geral tem arrependimento. Muitas vezes se arrepende assim que sai da loja.
Embora as pesquisas mostrem que quase todo o mundo, de vez em quando, compra por impulso, porque comprar por impulso faz parte da natureza humana, o comprador compulsivo não cede a essa pressão eventualmente. Cede sempre, em especial se estiver dominado por sentimentos negativos, entristecido, com baixa autoestima e dificuldade de relacionamento.
As compras compulsivas geralmente não envolvem uma avaliação mais criteriosa da necessidade do objeto adquirido. O que excita é o ato de comprar, e não o objeto comprado. Assim, compulsivos costumam adquirir objetos que não irão usar, chegando a comprar, por exemplo, várias cores de um mesmo modelo de sapatos apenas porque não conseguiu controlar um impulso.
Os shoppings favorecem esse tipo de comportamento pelo número e diversidade de lojas que oferecem agrupadas num mesmo espaço. Além disso, contar com cartões de crédito e poder parcelar os pagamentos funcionam como atração e incentivo para novas compras.
A ansiedade em ter tudo da moda, mesmo com o armário abarrotado de roupas é um sinal claro de perda de controle. Você precisa mesmo disso? Quando for comprar, faça um planejamento prévio e tente pagar tudo a vista. Isso não diminui seu poder de compra, mas sim o de conseguir barganhar um desconto.
Julimar Murat Batista  - Economista Doméstica
conheça mais www.facebook.com/economianolar

Um comentário:

  1. Deus não nos abandona nunca, nem quando estamos no erro. Muita paz!

    ResponderExcluir

"... que vosso amor cresça cada
vez mais no pleno conhecimento e
em todo o discernimento." - Paulo
(Filipenses. 1:9.)